20/11/2013

Monstros: Vespas gigantes, Água viva gigante, Verme gigante e muito mais....

O verme gigante

No início de 2009, funcionários do aquário Blue Reef, em Newquay, sul da Grã-Bretanha, notaram que uma barreira de corais em exibição estava sendo destruída. Por meses eles analisaram o local, procuraram o que poderia causar o problema, sem achar a fonte.
Por fim, decidiram revirar a barreira de corais, separando pedra por pedra, até que acharam a causa do problema.

Embaixo de uma pedra, um dos funcionários encontrou um enorme verme, com 1,2 m de comprimento e grandes presas. O animal, da espécie Eunice aphroditoisde, e só foi retirado do local depois de ser atraído por pedaços de peixe utilizados como isca.
A operação para a retirada do verme consumiu 9 kg de linha, já que ele mordia a linha antes de ser fisgado.
"Parecia uma criatura de filme de terror!", disse Matt Slater, curador do aquário, à agência BBC. "O bicho era tão comprido e tinha mandíbulas muito estranhas. Depois de fazer uma pesquisa, descobrimos ainda que esse verme é coberto por milhares de tentáculos capazes de picar outro animal e deixá-lo dormente para sempre."


águas-vivas gigantes

A pesca é uma das mais tradicionais atividades do Japão. Muitas vezes ambientalistas brigam com os pescadores japoneses por sua insistência em matar baleias e golfinhos. Contudo, em julho de 2009, o inimigo dos pescadores não eram mais ONGs, ativistas ou a pressão internacional, o ataque, dessa vez, veio do próprio mar.

Uma incalculável quantidade de águas-vivas gigantes, vindas do mar Amarelo, na China, invadiu o mar do Japão. Estimativas indicam que os prejuízos chegaram a centenas de milhões de dólares. O efeito foi devastador para os pescadores, que viram a produção quase desaparecer.
As criaturas, chamadas de Echizen Kurage, chegam a quase 2 m de diâmetro e podem pesar mais de 200 kg. O animal, além de danificar redes de pesca, pode matar os peixes e ferir humanos
De acordo com o estudo, diversos são os fatores que explicam o fenômeno, entre eles a ação do homem na costa da China, a mudança radical na fauna do mar chinês, a elevação da temperatura da água e poluição. Contudo, a pesquisa indica que a principal causa é a pesca indiscriminada, pois, sem concorrência, as águas-vivas têm mais plâncton e, portanto, a população do animal aumenta cada vez mais.

peixe-gato

Ao longo dos 4,8 mil km do Mekong – rio que banha o sudeste asiático e é um dos maiores rios do mundo - podem ser encontradas diversas espécies de animais, inclusive 50 espécies migratórias de peixes e a raia pastenaga cujo peso pode atingir os 600 kg. Mas, apesar do peso, não é esta espécie de raia que surpreende nas águas que cruzam a China, o Laos, a Tailândia e o Camboja.
Com até 3 m e quase 300 kg, o peixe-gato é considerado um dos maiores peixe de água doce do planeta. Apesar do tamanho, não tem dentes. Percorre grandes distâncias para desovar. Além disso, está ameaçado de extinção e, de acordo com a WWF, estima-se que houve uma queda de 90% da população em 20 anos.
O "monstro" pode acabar desaparecendo. O maior problema é um projeto para a construção de uma série de barragens ao longo do rio. As construções podem separar os diversos locais de desova existentes no curso e impedir a reprodução da espécie, que pode acabar extinta.
Como o peixe-gato viaja do Camboja à Tailândia ou Laos para fazer a desova, ele teria até 11 barragens que impediriam sua passagem. Segundo o WWF, a principal ameaça seria uma construção na província Sayabouly, no norte do Laos, que pode acabar de vez com a sobrevivência da espécie.


água-viva chamada de Stygiomedusa gigantea

Em estudos no mês de abril deste ano, cientistas utilizavam um submarino operado por controle remoto (ROV, na sigla em inglês) na região do Golfo do México quando enormes tentáculos envolveram o equipamento. O mesmo submarino é utilizado por companhias de petróleo que operam na região, como Petrobras, BP, Shell e Chevron, e seus funcionários já haviam relatado, pelo menos por quatro vezes, a aparição de um gigantesco animal entre 2005 e 2009.

O quê os cientistas viam pela câmera era uma pouco conhecida água-viva chamada de Stygiomedusa gigantea. O animal tem o corpo em forma de sino com diâmetro de 1 m e quatro tentáculos com 6 m de comprimento cada. A espécie tem tonalidade avermelhada e é pouco vista porque vive em uma profundidade entre 996 m e 1.747 m. Registros indicam que ela foi vista apenas 114 vezes em 110 anosApesar do ataque da água-viva, os cientistas utilizaram as imagens em um estudo sobre a espécie. Outras pesquisas indicaram, por exemplo, que ela pode ser encontrada em várias partes ao redor do planeta. O novo estudo tem como objetivo identificar a concentração da espécie no mundo


Peixe tigre africano

Em um documentário de TV exibido em maio pelo canalAnimal Planet, o biólogo Jeremy Wade apresenta suas viagens para mostrar os "Monstros do Rio". Estamos acostumados com alguns perigosos peixes de água doce, principalmente as piranhas, em filmes, mas o que Wade encontrou na África assusta muito mais que qualquer peixe famoso.Com seus 36 kg, o peixe tigre golias (Hydrocynus goliath) parece ter sido criado para algum filme americano de terror. Seus enormes dentes pouco lembram os dentes de outros peixes, mesmo os dos ferozes tubarões. O nome faz justiça ao animal, pelo menos às presas, que parecem ter sido arrancadas da boca de um tigre e enfileiradas no peixe tigre golias.
O "monstro" pode acabar desaparecendo. O maior problema é um projeto para a construção de uma série de barragens ao longo do rio. As construções podem separar os diversos locais de desova existentes no curso e impedir a reprodução da espécie, que pode acabar extinta.
Como o peixe-gato viaja do Camboja à Tailândia ou Laos para fazer a desova, ele teria até 11 barragens que impediriam sua passagem. Segundo o WWF, a principal ameaça seria uma construção na província Sayabouly, no norte do Laos, que pode acabar de vez com a sobrevivência da espécie

água-viva juba de leão

Muitos animais chamam a atenção pelo aspecto monstruoso, pelos enormes dentes, por serem muito diferentes. Alguns realmente parecem sair (ou pelo menos poderiam inspirar) de um filme de terror. Contudo, nenhum deles se compara em tamanho ao maior "monstro" do planeta
Os tentáculos da água-viva juba de leão (Cyanea capillata) podem alcançar 30 m, tão longos quanto uma baleia azul, e são cobertos com perigosas toxinas que podem paralisar a vítima e ainda causar paradas cardíacas em pequenos seres - como comprovado em testes com ratos de laboratório. Com largura que pode chegar a 2,5 m, ele tem tudo para ser o astro de um lançamento da indústria de horror.
Ok, depois de tudo isso não se pode dizer que a água-viva é inofensiva e que é seguro se aproximar dela no mar. Mas um recente estudo indica que a Cyanea capillata é uma espécie de "guardiã dos oceanos". Acontece que ela se tornou o único predador conhecido do ctenóforoMnemiopsis leidyi fora da região de origem deste ser.
O Mnemiopsis leidyi é uma espécie invasora que devora o plâncton e devasta suas populações em certas regiões do planeta, o que diminui drasticamente a quantidade de peixes. Como este ctenóforo não tinha predadores, acabou se transformando em uma grave ameaça. Não tinha, já que a história teve uma reviravolta no final e o nosso "monstro" mostrou ser, na verdade, o mocinho ao controlar a população do invasor em certas regiões.

Peixe dragão
Biólogos que estudam a vida marinha realmente gostam de descer às profundezas do oceano. Eles descem quilômetros para regiões onde a luz do Sol não chega para ver o que pode viver lá. É nessa zona do planeta que muitas das espécies descobertas nos últimos anos vivem. Contudo, é também lá que alguns dos "monstros" do nosso mundo estavam escondidos
Com dentes afiados e órgãos com bioluminescência para chamar a atenção da presa, os peixes das profundezas realmente parecem seres de outro mundo quando são vistos. Os mais pavorosos são espécies de peixes dragão. Uma deles, inclusive, chama a atenção pelos numerosos dentes, que se encontram até na língua. A espécie de peixe dragão que tem dentes na língua foi descoberta pelo programa Censo da Vida Marinha, realizado por diversas universidades e instituições de pesquisa ao longo do planeta. O animal pode até parecer apavorante, mas apenas em fotos, já que tem o tamanho de uma banana.

Crabzilla

No oceano Pacífico existe um crustáceo tão grande que é capaz de abraçar um pequeno carro. Com enormes pernas que podem chegar a 4 m de comprimento cada e perigosas pinças, esse ser pode viver 100 anos. Não é história de pescador, mas calma, também não é de terror
O caranguejo da espécie Macrocheira kaempferi pode ser encontrado em águas profundas (mais de 300 m) do Pacífico. O mais famoso foi pescado em 2009 e vive um aquário britânico desde o início deste ano. Com pernas de 2 m de comprimento, ganhou o "simpático" apelido de Crabzilla (crab - caranguejo, em inglês - com Godzilla - o gigante monstro do cinema japonês). Ele merece.
Crabzilla virou astro na Europa e faz turnês pelo continente. Apesar de não ser o maior de sua espécie, impressiona pelo tamanho. É inofensivo fora d'água, já que não consegue sustentar o peso de suas enormes pernas. Contudo, nas profundezas do Pacífico, é um mortal predador.


Tubarão branco

O mais assustador dos mares

Suas fileiras de dentes estão entre as mais famosas do planeta. Isso mesmo, "fileiras", no plural. Nosso último "monstro" não precisa de um filme de terror, ele é tão assustador que já recebeu uma série de produções de Hollywood. O mais perigoso caçador dos mares, inclusive, é um dos maiores sucessos do cinema
O grande tubarão branco pode ser encontrado em águas temperadas ao redor do planeta, mas é mais comum na Austrália, África do Sul e norte do Estado americano da Califórnia. Sua dieta consiste basicamente de animais como focas e leões marinhos, mas pode comer de lulas a golfinhos e até baleias.
É conhecido, como outros tubarões, pela capacidade do olfato (ele que sente cheiro de sangue na água a 1 km de distância) e impressionante velocidade (nada a até 40 km/h). Mas, como no filme, pode acabar morto no final
De acordo com a organização WWF, a procura pelos dentes, couro e barbatanas é uma grande ameaça ao tubarão branco. Além disso, enfrenta perigo com a captura acidental em equipamentos de pesca, como redes. Os animais que sobrevivem são geralmente mortos pelos pescadores. O mais famoso "monstro" do planeta enfrenta, hoje, apenas um predador, o homem

Vespas gigantes
Pelo menos 28 pessoas morreram e centenas ficaram feridas em uma recente onda de ataques de vespas gigantes na China. As vítimas descrevem que foram perseguidas por centenas de metros pelas criaturas - que as teriam picado até 200 vezes antes de interromper os ataques. A maior parte dos feridos foi registrada nos últimos três meses em áreas rurais remotas ao sul da província de Shaanxi, de acordo com jornais locais.
A Vespa Gigante Asiática ou Vespa Mandarina, é a maior vespa do mundo. É uma caçadora implacável que se alimenta de outros grandes insetos, tais como abelhas, outras vespas e mantis religiosas (louva-a-deus). As Vespas Mandarinas atacam frequentemente colmeias de abelhas, com o objetivo de obter as larvas. Uma única vespa ao se aproximar cautelosamente do ninho, libera um feromônio que conduzirá as outras vespas até a colmeia. As Vespas Mandarinas podem devastar completamente uma colônia de abelhas : um único zangão pode matar 40 abelhas graças as suas grandes mandíbulas que podem rapidamente golpear e decapitar uma abelha. Elas demoram apenas algumas horas para eliminar a população de uma colmeia de 30.000 membros. No final da batalha as vespas se alimentam das larvas e do mel das abelhas.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário