30/08/2013

Crianças têm contato com veneno de rato em escola municipal de Dourado

Uma delas experimentou o produto e precisou ser levada ao hospital.

Caso aconteceu nesta quinta(29); Educação investiga responsabilidades.




Três crianças de quatro e cinco anos encontraram veneno de rato dentro de uma tubulação, no pátio da Escola Municipal Maria do Carmo Balestero Gutierre, em Dourado (SP), na manhã desta quarta-feira (28). Uma delas chegou a experimentar o produto e precisou ser internada. A Secretaria de Educação vai investigar se houve irregularidade por parte da empresa responsável por colocar o veneno na escola.

Segundo o inspetor de alunos Carlos Eduardo Denetti, as crianças procuravam um anel de plástico que tinham perdido. “Quando cheguei já vi os bloquinhos da isca do veneno. Na hora fiquei preocupado e chamei os outros funcionários. As crianças conseguiram erguer a grade, pegar as iscas e jogaram para o lado de fora. É uma grade que uma pessoa adulta quase não consegue tirar. A gente até agora não entendeu como eles conseguiram erguer isso”, contou.
saiba mais

As iscas foram colocadas por uma empresa de dedetização contratada em julho por licitação para combater os ratos na escola, que tem 80 alunos de quatro e cinco anos matriculados. O diretor de Educação, Henrique Mariano Gonçalves, informou que o veneno já foi retirado da escola onde ocorreu o incidente e de outra. Segundo ele, a empresa de dedetização apresentou um laudo sobre os produtos.

“O técnico da empresa que aplicou o veneno nos passou um laudo dizendo que o veneno não oferece risco para crianças e, em contato com a boca, caso fosse ingerido, ele causa vômito. A criança não apresentou nenhum quadro deste tipo, o médico que atendeu disse que não tinha nenhum indício de envenenamento”, afirmou Gonçalves.

O diretor informou ainda que vai analisar o que aconteceu para definir se alguma medida será tomada contra a empresa. “Nós vamos averiguar os fatos para saber se teve alguma imprudência, alguma irresponsabilidade por parte da empresa”, declarou.

As três crianças que tiveram contato com o veneno foram levadas para o Pronto-Socorro Municipal. Duas foram liberadas após o atendimento e um menino, que disse ter experimentado o produto, foi encaminhado para a Santa Casa de São Carlos, onde passou por uma lavagem estomacal e foi internado para observação.

Nos exames feitos na Santa Casa não foi encontrada nenhuma substância tóxica no organismo do menino. Ele recebeu alta por volta das 16h desta quinta-feira (29).


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário